Limite do humor.

22:50 Bruno Cardial 0 Comments

Apresar de muito engraçado (muito mesmo), o humor de hoje em dia praticado no Stand Up Comedy e consequentemente importado para a TV tem um alto senso apelativo por muito dos seus praticantes.
O elenco do programa CQC (Tv Bandeirantes), são os encorajadores a cada vez mais isso se propagar. Digo encorajadores pela "vitrine", a visibilidade que eles possuem, pois já ouvi comediantes inicintes dizerem: "se os caras falam lá na TV, em rede nacional, porque eu não posso fazer no bar, ou no teatro?"

Assisti em uma entrevista com a jornalista Marília Gabriela, no SBT, Danilo Gentili se mostrando um tanto quanto despreocupado com o assunto ou situação da piada que cria (ou diz). Gentili leva bem ao pé da letra a o ditado que diz: perde o amigo, mas não perde a piada! E segundo ele: "Toda piada é preconceituosa". 

 Mas será que tem mesmo que ser?

Agora, no centro deste cenário de avaliação das piadas está Rafael Bastos, mais um integrante do CQC que foi eleito ha quatro meses por uma pesquisa divulgada no The New York Times, como o usuário do Twitter mais influente do mundo.

Rafinha, está na mira do Ministério Público de São Paulo que pediu abertura de um inquérito policial contra o humorista para apurar suposta incitação e apologia ao crime por conta desta piada sobre estupro:

"Toda mulher que eu vejo na rua reclamando que foi estuprada é feia pra caralho.[...] Tá reclamando do quê? Deveria dar graças a Deus. Isso pra você não foi um crime, e sim uma oportunidade." [...] "Homem que fez isso [estupro] não merece cadeia, merece um abraço."

Publicada na revista Rolling Stone, a piada estava sendo feita no seu clube de comédia, na região central de São Paulo, e está rendendo uma boa dor de cabeça ao humorista.


Vamos ver se esta suposta apologia investigada, coloca um limite no humor de hoje em dia, trazendo de volta as boas piadas sem apelação.

AO LER NOSSOS POSTS ATENTE-SE AS DATAS, ALGUMAS POSTAGENS SÃO REFERENTES APENAS QUANDO PUBLICADAS