Programa Aqui Tem Jovem | Sarará Criolo


O carnaval chegou e nós não podíamos deixar de fazer o programa no clima de batuque e folia.

No nosso Aqui Tem Jovem de carnaval continuamos conversando com os artistas de Londrina, e está é uma banda com um dos sons mais animados da cidade: Sarará Criolo.

Ouvimos o som autoral dessa banda que há muito é conhecida em Londrina pela mistura de ritmos, animação e uma forte tendência pro samba/rock.

Ale e Japa falaram conosco também sobre a história da banda, o primeiro CD que está sendo produzido e muitas outras coisas, além da agenda pro carnaval na cidade. 

 Sintonize 107,9 FM ou clique aqui para ouvir o programa:
 
Sábado 25/02 das 14:00 às 15:00h.
 
Terça-feira 28/02 das 20:00 às 21:00h



Programa Aqui Tem Jovem | Banda Hocus Pocus Machine



Mais uma banda de Londrina participa da temporada dos sons autorais no programa Aqui Tem Jovem.

Neste programa conversamos com Diogo Oliveira, Ivo Oliveira, e Vinícius Máximo da Banda Hocus Pocus Machine.

Conversamos sobre o estilo rock da Hocus Pocus, os shows que eles fizeram na Europa, os álbuns e sobre os membros da banda e outros trabalhos paralelos. 

 Sintonize 107,9 FM ou clique aqui para ouvir o programa:
 
Sábado 18/02 das 14:00 às 15:00h.
 
Terça-feira 21/02 das 20:00 às 21:00h.








Estagiário é demitido por postagem eu seu facebook e recebe apoio da Câmara de Londrina


O jovem estagiário de Engenharia Civil, Gabriel Vaz, de 19 anos, foi demitido do Grupo Cantareira Construções Imobiliárias, após a repercussão de uma postagem em seu facebook.

Na postagem, o estagiário convocava feministas para fazerem trabalhos braçais (abaixo):



Após a postagem considerada machista repercutir nas redes com mais de 11 mil compartilhamentos e repercussão em mídia nacional, a empresa demitiu o estagiário e emitiu uma nota com a seguinte justificativa:


Gabriel Vaz, após isso, teve mais repercussão ainda nas redes sociais e em programas de TV. Ao explicar sua posição no Programa Pinga Fogo na TV da Band Maringá, ele diz não se tratar de machismo em suas declarações:


Na Sessão da Câmara de Vereadores de Londrina, nesta terça feita, dia 22, foi aprovado um requerimento (RE0034) apoiando o jovem estagiário demitido.

Segundo o autor da proposta, vereador Filipe Barros (PRB), o jovem exerceu o "seu direito constitucional de liberdade de expressão nas redes sociais, e foi demitido em virtude da pressão exercida por movimentos feministas, que não representam a maioria das mulheres desse país." 

A curiosidade do fato, é que a única vereadora mulher, Daniele Ziober (PPS), que também preside a Comissão dos Direitos da Mulher no Legislativo, votou favorável ao requerimento que correu na sessão com pedido de urgência.

Na ocasião nenhum vereador pediu destaque para votar em separado.

Segundo informações do jornalista Fábio Silveira pelo blog Baixo Clero, a vereadora afirmou que depois de saber a história por trás do requerimento, tentou mudar o seu voto e que não apoiou a medida.

Programa Aqui Tem Jovem | Banda Montauk


Continuando com a temporada dos sons autorais de Londrina, tem mais uma banda no Aqui Tem Jovem.

Neste programa conversamos com Paula Stricker e Rafael Silvaro da Banda Montauk.

Conversamos sobre o estilo autoral poético da Montauk. Falamos de shows, das produções de trabalhos e nós ainda atendemos o telefone da Paula bem no meio do programa. Vale a pena ouvir!

 Sintonize 107,9 FM ou clique aqui para ouvir o programa:
 
Sábado 11/02 das 14:00 às 15:00h.
 
Terça-feira 14/02 das 20:00 às 21:00h.





 

Campeonato Brasileiro de Stand Up Comedy em Londrina


Quer dar muitas risadas e ainda ser jurado do maior campeonato de Stund Up Comedy do Brasil?

Dia 10 de fevereiro no teatro Zaqueu de Melo, os humoristas Renan Malanga e Bruninho Lemes, vão conduzir a eliminatória do Campeonato Brasileiro de Stand Up Comedy  etapa Londrina. 

Nesta, que já é a 3ª edição do campeonato, 5 concorrentes se apresentam e somente um deles defende a região na próxima fase do campeonato. O público é quem vota qual deles é o melhor da noite! O vencedor leva o prêmio de R$1000,00 mais a chance de se apresentar como open nas maiores casas da capital paulistana

Os ingressos promocionais já estão a venda pelo site por apenas R$15,00. Clique aqui! Garanta seus ingressos, chame os amigos e venha torcer pelo melhor comediante da noite!


O evento começa as 20:30h.

Contato para mais informações pelo WhatsApp: (43) 9 9114-4393

Lista de Shows Expo Londrina 2017

Uma coletiva de imprensa na manhã deste dia 02 de Fevereiro revelou detalhes, mudanças e a grade de shows da Expo Londrina 2017.

Em todos os anos os shows são as maiores atrações populares da feira. Na tradicional divulgação da agenda, além da lista de shows, foram divulgados também os pontos de venda dos ingressos, que neste ano são: Boulevard Londrina Shopping e as bilheterias do Parque Ney Braga.

Em todos os dias atrações sertanejas confirmam a característica da feira, porém em 2 dias virão atrações além de duplas.

Na quinta feira dia 30, o DJ brasileiro Alok é uma novidade na feira trazendo música eletrônica. No domingo, dia 02, o cantor Amado Batista apresenta seu repertório popular (considerado das décadas de 1970 à 1990 como estilo brega).


Dias 07, 08 e 09, (segundo fim de semana do evento) será realizada a etapa do Rodeio norte americano PBR (Professional Bull Riders).

Abaixo você confere os artistas da Expo Londrina 2017, que será realizada de 30 de Março a 09 de Abril:

30/03 Quinta feira: Matheus & Kauan | Dj Alok
31/03 Sexta feira: Henrique & Juliano
01/04 Sábado: Pedro Paulo & Alex | Gustavo Mioto
02/04 Domingo: Amado Batista | Festival Sertanejo
03/04 Segunda feira: Jorge & Mateus
04/04 Terça feira: Marília Mendonça
05/04 Quarta feira: Gusttavo Lima
06/04 Quinta feira: Maiara & Maraísa
07, 08 e 09/04 Sexta feira, Sábado e Domingo: Rodeio PBR







Programa Aqui Tem Jovem | Banda Senhor Bonifácio


O programa aqui tem jovem na Rádio UEL FM volta ao ar em 2017 com uma temporada musical.

Nos primeiros meses do ano, faremos entrevistas com cantores, duplas e bandas de Londrina que encampam o trabalho autoral na cidade e fora dela.


A primeira banda da nossa sequencia é a Senhor Bonifácio. 

Marcelo Celligoi e Eduardo Sahão contam no programa detalhes da carreira, da formação, do estilo musical e de shows. Vamos ouvir uma música de inspiração da banda, e claro, o som autoral deles.

Ouça clicando abaixo. Você também pode baixar ou compartilhar nas suas redes sociais.






Quem fez o Enem, como entra na UEL?


Sistema de Seleção Unificada, SISU, é um sistema de seleção do Ministério da Educação, MEC, por meio do qual instituições públicas de ensino superior oferecem vagas aos candidatos participantes do ENEM, o Exame Nacional do Ensino Médio.

A Universidade Estadual de Londrina, oferece por meio do SISU 600 vagas em diversos cursos de graduação para ingresso agora em 2017.

As inscrições estão abertas e vão até domingo, dia 29/01, com resultado publicado já no dia 30.

Poderá se inscrever no processo seletivo do SISU o candidato que fez o ENEM 2016 e teve acima de 300 pontos na prova de redação.

Quem cumpre esses critérios, deve se cadastrar no endereço www.sisu.mec.gov.br

Mas atenção, as vagas não são para todos os cursos da UEL. A lista completa de cursos da UEL com o número de vagas de cada curso que serão ofertadas por meio do SISU está disponível neste link, clique aqui.

Se você quer saber mais detalhes sobre o SISU na UEL, clique aqui e confira no site da Coordenadoria de Processos Seletivos, COPS. 



Resultado Vestibular UEL 2017


Começou 2017 pra quem quer ser um universitário da UEL. Saiu a lista de aprovados no vestibular 2017 da Universidade Estadual de Londrina.


O resultado, como sempre, pode ser acessado no site da Coordenadoria de Processos Seletivos, clicando aqui.

Nesta prova, mais de 22 mil candidatos disputaram uma das 2.480 vagas ofertadas pela Universidade, em 54 cursos de graduação.

Os aprovados nesta 1ª convocação devem realizar a pré-matrícula até quinta-feira, dia 26, às 23h59min.

Ao todo na UEL são 3.100 calouros, em 68 cursos de graduação.

Lembrando que consequência das paralisações e greves dos últimos anos, as aulas do Calendário 2017 começam no dia 17 de abril.

Quem não for aprovado em 1º chamada deve declarar interesse pela vaga na Lista de Espera no site da cops e assim, aguardar a lista das próximas convocações. 

Devem ser indenizadas as famílias dos detentos ou das vítimas de seus crimes?


Nosso país tem um poder judiciário contaminado, um sistema prisional falido e estão jogando a culpa em quem não a tem.

Depois de rebeliões e suas terríveis consequências neste início de ano, os maiores comentários e polêmicas da internet são sobre as indenizações: Se devem ou não ser feitas e sobre quais famílias devem receber, as dos detentos ou das vítimas de seus crimes?


Esses comentários, esses questionamentos, hoje são desnecessários. O correto seria (eu digo seria) dizermos que não existem famílias que precisem de indenizações, já que não há crime hediondo, bárbaro, leve, ou qualquer que seja. Utopia.

O crime está aí. Mas, em um país com o poder judiciário contaminado e um sistema prisional falido, desde seu início ao final, discutirmos o fim do processo errado é como fazer um bolo com ingredientes podres e fora do prazo de validade. Bolo que depois de pronto, ao provar e constatar o sabor ruim, vamos querer discutir: Qual parte da receita foi a errada? 

O erro está no processo desde o início, ingredientes ruins.

O Estado não manda mais nos presídios, isto já é um fato. Um poder paralelo, que é mais respeitado e obedecido que o de segurança, faz suas próprias leis e funciona melhor que a política deste país (ou poderíamos dizer que funciona junto com ela?).

Este poder funciona dentro e fora das paredes das penitenciárias e todos os brasileiros sabem das vantagens que alguns têm em manter o ''sistema paralelo'' funcionando. 

Coloco aqui um trecho de um post chamado "Brancos ricos e negros pobres que cometem crimes têm o mesmo tratamento?"

Antes de ir pelo título, leia ao menos esta parte que traz uma clara evidência, apenas uma, que está tudo errado no Brasil, e nós estamos querendo discutir apenas o gosto final do bolo.



Atente para o enunciado:

Dirigindo o carro de seu pai, um jovem desobedeceu uma ordem de parada, furou uma blitz da operação Lei Seca, atropelou o agente de trânsito Diogo Nascimento de Souza (que morreu logo depois) e fugiu sem prestar socorro, neste sábado (21), em João Pessoa, na Paraíba.
Considerando que o desfecho da história foi o seguinte:
O jovem teve a prisão temporária decretada na mesma noite, mas conseguiu um habeas corpus do desembargador Joás de Brito Pereira Filho às 3h da madrugada. Segundo o magistrado, não havia "justa causa para justificar o cerceamento do direito de locomoção” do motorista.
Qual desses duas biografias teria maior probabilidade de ser o motorista:
a) José da Silva, jovem e negro, dirigia o Monza branco da família. Seu pai é chapeiro em uma lanchonete no centro de João Pessoa e sua mãe, manicure. Ele, que conseguiu um serviço como atendente na lanchonete em que o pai trabalha, é o primeiro da família a ter terminado o ensino médio.
b) Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, jovem e branco, dirigia o Porsche branco da família. É neto de José Carlos da Silva Júnior, ex-senador e ex-vice governador da Paraíba, herdeiro do Grupo São Braz, um dos maiores produtores de café torrado do país e que sua família também controla empresas de comunicação, entre elas, uma afiliada da Rede Globo.
Qualquer pessoa, rica ou pobre, deve ter todo o direito à ampla defesa. E prisões temporárias ou provisórias devem ser usadas com parcimônia, para evitar que o acusado suma com provas ou quando ele é um risco à sociedade, e não como punição sem julgamento pelo crime cometido. Queremos Justiça, não vingança.
Mas o fato de sermos capazes de responder à pergunta colocada com extrema facilidade e de acertar o resultado na maior parte das vezes em que esse tipo de coisa acontece, mostra que ainda temos que caminhar muito para que todos tenham acesso igualitário à Justiça independente de sua classe social ou etnia...


Programa Aqui Tem Jovem - 1 Ano


O nosso programa comemora um ano no ar pela Rádio UEL FM.



Nesta edição repassamos todos os assuntos do programa desde o primeiro, foram mais de 30 conversas e todos os convidados muito especiais.
 
Se você não pode ouvir alguma de nossas edições, acompanhe este e saiba de todos os assuntos desde o primeiro Aqui Tem Jovem



Sintonize 107,9 FM ou Clique aqui para ouvir o programa:










Comunicado do DCE/comando de mobilização estudantil da UEL


1- Conforme anunciado, ocorreu a reunião do comando de mobilização estudantil no dia de ontem e foi decidido um cronograma de paralisação para os dias 12, 13 e 14 de dezembro. Lembrando que a paralisação foi aprovada em assembléia geral dos estudantes como forma de protesto nos dias da votação da PEC 55 no Senado. Os estudantes não poderão sofrer
faltas ou serem prejudicados com aplicação de provas e demais atividades acadêmicas. Esta é uma decisão de respeito às atividades de mobilização dos estudantes, inclusive, foi aprovada na última assembléia docente de encerramento de greve.

2- Os estudantes decidiram que, até o momento com o dinheiro arrecadado, a viagem será destinada para a capital Curitiba, onde também haverá manifestação das universidades contra a PEC nos dias 12, 13 e 14. Haverá uma confraternização hoje. A partir das 19 horas no espaço cedido pelo Sindiprol/Aduel, para também contribuir na arrecadação. Evento no link: https://www.facebook.com/greveestudantiluel/?hc_ref=NEWSFEED

3- SEGUNDA-FEIRA dia 12: Haverá uma concentração no centro de estudos do CLCH a partir das 17:30 para organizar um momento de discussões e um Sarau que terá como tema "movimento militante" com atividades de propaganda e debate contra a PEC 55 e demais ataques aos direitos.

4- TERÇA-FEIRA dia 13: Haverá manifestação contra a PEC 55 a partir das 18 horas no Calçadão de LONDRINA. Também as 19:15 no anfiteatro maior do CLCH terá uma palestra sobre a escola sem partido. 

5- QUARTA-FEIRA dia 14 no RU, a partir das 10 horas haverá uma roda de debate público contra a PEC 55 e demais ataques aos direitos.

6- Todos os estudantes e professores estão convidados a irem para a universidade para as atividades de paralisação. Ajudem a promover os debates contra as medidas de retirada de direitos. Haverá divulgação também nos centros de estudos destas atividades.

Lutar e resistir!

Programa Aqui Tem Jovem - Aniversário de Londrina com o prefeito Alexandre Kireeff

Dia 10 de Dezembro é aniversário de Londrina. 
Para falar sobre nossa cidade convidamos o prefeito Alexandre Kireeff.
O prefeito falou sobre o dia a dia na prefeitura, sobre os londrinenses, as principais ações que gostaria de ter realizado mas não conseguiu, sobre vários pontos da cidade, e também comentou sobre detalhes particulares da sua gestão.

Kireeff está em seu último ano de mandato e destacou vários momentos destes últimos quatro anos. 



Sintonize 107,9 FM ou Clique aqui para ouvir o programa:









Jovem brasileiro é um dos 35 jovens inovadores mais relevantes do mundo


O jovem brasileiro Ronaldo Tenório foi o único latino-americano a entrar na lista dos 35 jovens inovadores mais relevantes do mundo.

A indicação foi feita pelo MIT, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, nos Estados Unidos, um dos mais respeitados do ramo.

O reconhecimento de Tenório veio por conta de um aplicativo desenvolvido por ele, que traduz áudios e textos para a linguagem brasileira de sinais, a LIBRAS.

Atualmente são mais de 300 milhões de deficientes auditivos no mundo. Quase 10 milhões somente no Brasil.

De acordo com Ronaldo Tenório, a interação entre surdos e ouvintes pelo aplicativo é a proposta do Hand Talk. Segundo ele, o reconhecimento é acima de tudo, um marco da inovação brasileira.

O aplicativo funciona com um personagem virtual, chamado Hugo que, ao receber a mensagem escrita, codifica para LIBRAS, fazendo gestos e conversando com quem assiste no celular.

O Hand Talk é gratuito, e pode ser baixado na app store e google play. Basta procurar por Hand Talk, e instalar no tablet ou celular.

Ou acessar o site www.handtalk.me

Operação Lava-Jato virou site



O Ministério Público Federal colocou no ar um hotsite com dados da Operação Lava-Jato. O portal é uma vertente de um outro site do MP chamado 'combate à corrupcão'.

A transparência, em rede social, é uma arma para evitar que muito do 
que foi e está sendo investigado acabe no esquecimento.

Detalhes para entender todo o caso e saber quem é a equipe que está trabalhando na operação, completam a página que tem também um botão pra denúncia direta, notícias atualizadas dia-a-dia e ainda uma espécie de FAQ, com as principais perguntas e respostas sobre tudo que está sendo investigado.

Um dicionário atualizado e completo para quem quer entender o que é e como tramita a Operação Lava-Jato.

Visite o site: www.lavajato.mpf.mp.br




Programa Aqui Tem Jovem - Vitor Conor



Estamos de volta!

Passamos por mais um período de greve na Universidade Estadual de Londrina neste nosso último ano. Este período de paralização ainda contou com as ocupações que continuam em alguns centros da UEL. 

Porém, com a Rádio UEL FM desocupada e suas programação rodando normalmente, estamos de volta com o programa Aqui Tem Jovem.

Este nosso programa é musical, conversamos com o cantor e compositor londrinense Vitor Conor.

Vitor falou de sua vida, trabalho, o cenário musical autoral londrinense e falou principalmente sobre o lançamento de seu EP 'Híbrido', um disco com 5 das suas recentes músicas que será lançado em um show no Bar Valentino, dia 07 de Dezembro ás 21h.

Sintonize 107,9 FM ou Clique aqui para ouvir o programa:





Reitora da UEL recebe nota de repúdio dos próprios alunos


A Reitora da Universidade Estadual de Londrina, Berenice Jordão, na última sexta-feira, após a negociação para desocupação da reitoria e da Rádio UEL FM, pediu um interdito proibitório para todos os prédios da UEL e seus órgãos suplementares.

A decisão surpreendeu desagradando os alunos que vinham, até então, negociando com a reitora que se apresentava dialogar normalmente com o movimento. Segundo os alunos, que se manifestaram por uma nota de repúdio, a reitora pretende barrar o processo de mobilização pública e democrática.

Abaixo, a nota na íntegra:

- NOTA DE REPÚDIO -
Repudiamos a ação de Interdito Proibitório ajuizada pela reitoria da UEL de forma arbitrária e truculenta na última sexta-feira (18) logo após a desocupação da Reitoria e da Rádio e solicitamos que a reitoria retire tal ação. Com ela, pretende-se barrar o processo de mobilização público e democrático por meio de um Interdito Proibitório, com pedido de liminar contra o Diretório Central dos Estudantes (DCE) e um grupo de estudantes da UEL.
Os argumentos utilizados no documento, em que se alegam ameaças por parte do Movimento Estudantil para com os prédios da UEL, são totalmente infundados. Não há nenhuma prova real de que estaríamos nos mobilizando para OCUPAR qualquer outro imóvel da Universidade e, mesmo que houvesse, tal medida se configura como uma forma injusta e autoritária de barrar o movimento democrático e histórico que se desenvolve na UEL nos dias de hoje, a exemplo das mais de 170 universidades e diversoas escolas que foram ou estão sendo ocupadas no país todo como forma de protesto legítimo contra o retrocesso.
Segundo o documento, utiliza-se um trecho de uma postagem do Centro Acadêmico de Direito para teoricamente justificar ameaças: “1. Ante a dificuldade de fazer prova de ameaças, uma vez que são ameaças, e, portanto, não são manifestadas expressamente, requer-se a juntada aos autos, do incluso documento, extraído de perfil do facebook (...)”.
Constata-se aqui até mesmo o desconhecimento do significado da palavra “ameaça”. Portanto, recorremos à definição do dicionário Aurélio:
AMEAÇA
Substantivo feminino.
1. Palavra ou gesto intimidativo
2. Promessa de castigo ou malefício
3. Prenúncio ou indício de coisa desagradável ou temível, de desgraça, de doença
O fato de não ser manifestado expressamente tira totalmente o sentido do que é ameaçar, já que não há palavras, gestos ou promessa alguma em nenhuma parte do processo. Se um pedido de interdito proibitório é feito por suposições ou conversas paralelas, caímos no que se tem visto na justiça brasileira – muita convicção para pouca ou, como é o caso, nenhuma prova.
Esclarecemos que as e os estudantes regularmente matriculados na UEL vêm desenvolvendo, ao longo do último mês, atividades e mobilizações como forma de protestar contra retrocessos nacionais. As e os estudantes também vêm solicitando ações concretas para solucionar dificuldades que se apresentam no cotidiano e implicam em prejuízos ao amplo acesso e permanência à educação pública e gratuita.
Sobre culpabilizar o Diretório Central dos Estudantes, vê-se também o pouco conhecimento do processo de greve estudantil. O Movimento Estudantil da UEL deflagrou greve em assembleia, feita no dia 14 de outubro de 2016. A partir desse momento, o Diretório Central dos Estudantes se dilui e o Comando de Greve se constitui, sendo composto por até dois representantes de cada curso da UEL. A responsabilidade das ações tomadas durante a greve não pode, portanto, recair sobre qualquer estudante em particular ou sobre o Diretório Central dos Estudantes. Essa particularização e personificação da luta é por si só uma forma de retaliação e perseguição ao movimento estudantil, uma vez que as e os estudantes, que agora se convertem em réus, são agora apontados publicamente e ficam vulneráveis às diversas pressões que sofrem aqueles e aquelas que lutam por seus direitos em nosso país. A multa de 10 mil reais diária proposta pela reitoria nesse processo em caso de novas ocupações é descabida e, se deferida pelo Juízo, irá recair sobre o DCE e as pessoas citadas. É, portanto, outra forma, ainda mais séria, de intimidar e retaliar o movimento.
A partir do momento da deflagração da greve estudantil, ocorreram diversas tentativas de diálogo com a direção da Universidade e em nenhuma delas o Movimento Estudantil foi ouvido. Somente após a ocupação da reitoria é que isso foi possível e, ainda assim, por meio de um pró-reitor. As negociações não avançaram. Por esse motivo, o Movimento Estudantil, em uma reunião do Comando de Greve com mais de 40 cursos da UEL, solicitou para que a reitora participasse das negociações. Após mais de uma semana de greve e com mais de 10 ocupações, finalmente a reitora atendeu a esse pedido e, pela primeira vez, sentou-se para negociar com os estudantes. Na mesa, a reitoria exigiu a convocação de uma Assembleia Geral dos estudantes como para a entrega das respostas sobre as nove propostas e também para que fosse deliberado em Assembleia sobre as ocupações. Os representantes do Comando de Greve acataram a exigência da reitora e convocaram a Assembleia, demonstrando interesse com o diálogo.
Como o próprio documento menciona "Ficou acordado entre as partes a reconsideração do prazo dado pela reitoria para que o Movimento Estudantil convoque o Comando de Greve para discussão e posteriormente haja a convocação de uma Assembleia Deliberativa para quinta-feira, às 18h, respeitando o prazo de 72 horas presente no Estatuto do DCE, onde se discutirá e deliberará acerca da desocupação".
A própria reitora Berenice Jordão afirmou que "a verba direcionada à UEL é deficitária em relação ao necessário para a manutenção desta". As e os estudantes buscam por meio do Movimento Grevista - democraticamente constituído por meio de assembleias - reverter esse quadro de corte de verbas de custeio, investimentos e contratação de docentes e técnicos. Também buscam reverter a intensificação da cobrança de taxas que comprometem o caráter público e o amplo acesso ao direito assegurado na Constituição Federal e nos estatutos da Universidade.
Na Assembleia Geral realizada no dia 17 de novembro, as e os estudantes, também por não se sentirem contemplados pelas propostas da reitoria, deliberaram por maioria pela continuidade da greve estudantil, com 888 votos favoráveis e 753 contrários.
Conforme nota publicada na Agência UEL de Notícias, no dia 18 de novembro de 2016, a própria reitora afirmou que, com a desocupação da rádio UEL FM e do prédio da reitoria, "Acreditamos que a cidadania se consolidou. Como educadores, optamos pela construção do diálogo".
Ademais, o Conselho Universitário Extraordinário realizado no dia 11 de fevereiro de 2015 manifestou apoio ao Movimento de Greve dos servidores, docentes e discentes da UEL. No dia 06 de maio de 2015, novo Conselho Universitário Extraordinário reconheceu a Greve Estudantil no mesmo patamar das greves das demais categorias (docentes e servidores). Dessa forma, garantindo que os membros da comunidade acadêmica participantes do movimento grevista não sofreriam nenhuma forma de retaliação.
A reitora comprometeu-se também na negociação feita durante a ocupação da reitoria dessa forma: "9. A Reitoria não promoverá retaliação a estudantes e suas instituições que tenham participado deste movimento de paralisação ou ocupação."
Pode-se alegar que a reitoria não tinha nenhuma obrigação de acatar esses acordos propostos, porém, uma vez iniciado o diálogo e a negociação, o mínimo de coerência que se espera de uma reitoria que se diz democrática e cidadã é que o comando de greve estudantil fosse procurado antes de que qualquer ação fosse ajuizada.
Por fim, o período de greve não configura férias tampouco descanso, mas momento de militância e de luta pelos direitos que constam nas bandeiras do Movimento Grevista.
As outras duas categorias, democraticamente organizadas da UEL, deliberaram apoio amplo e irrestrito ao movimento estudantil, repudiando qualquer forma de retaliação ou perseguição. (Nota docente: http://sindiproladuel.org.br/comunicado-do-comando-de-grev…/. Nota site servidores: http://www.assuel.com.br/…/709-apoio-da-categoria-ao-movime…).
Dessa forma, denunciamos publicamente o fato de que, ao ajuizar tal ação, a reitoria da Universidade Estadual de Londrina agiu de forma sorrateira e arbitrária, contrariando as decisões democráticas da Universidade já aprovadas no Conselho Universitário, nas assembleias docentes, dos servidores e estudantil.
Além disso, o processo movido pela reitoria possui uma série de inconsistências e trata com demérito o movimento de greve estudantil. Esse desprezo é expresso na escolha das palavras e no uso das aspas (“greve”) para se referir à greve estudantil. Nisso há uma concepção implícita de que tal movimento não é legal ou legítimo, o que repudiamos veementemente. Uma vez que a greve estudantil é um mecanismo de luta legal, legítimo, reconhecido nos conselhos da universidade, aprovados e apoiados em assembleias de todas as categorias organizadas na UEL.
No afã de barrar as lutas e coibir o movimento, a reitoria se quer juntou procuração no processo, que é um requisito básico processual para que tal solicitação seja atendida.
A Greve é um direito democrático das e dos estudantes, e enquanto essa categoria decidir em assembleia que deve permanecer em greve, as e os estudantes não podem ser obrigados a participar das atividades letivas. O uso do espaço da universidade não se encontra em funcionamento normal, sendo esse um momento excepcional na qual as e os estudantes já ocupam a Universidade, como sempre ocuparam, com atividades diversas de manifestação e mobilização.
Repudiamos também o fato de que a reitoria repercute a visão de grupos reacionários sobre o movimento estudantil, acusando-o de que “assumiu feições radicais, sendo conduzida por grupo de estudantes que não admite qualquer diálogo ou pensamento contrário à própria convicção absoluta”. Quando, na verdade, o movimento estudantil se constitui, tira suas deliberações e ações em assembleias democráticas que garantem o amplo direito de voz e voto para todas e todos os estudantes da UEL.
Para exemplificar o seu argumento, a reitoria acusa ainda os estudantes de serem “invasores”, sendo que esses estudantes não são alheios aos prédios da Universidade, que já o ocupam cotidianamente fora do período de greve com atividades acadêmicas, sendo que, durante a greve, ocuparam o espaço com atividades de protesto e mobilização como o único recurso e o único meio que se mostrou eficaz para iniciar um diálogo democrático com a reitoria da Universidade. As ocupações em andamento não prejudicaram de forma alguma os trabalhos docentes e dos servidores técnicos, permitindo acesso aos espaços pela comunidade universitária.
Considerando, por fim, os artigos 6°, 23 inc. 5, 24 inc. IX, 205, 206, inc I e VII, 208 inc. V, da constituição federal de 1988, que instituem que a educação superior pública é um direito social cujo acesso deve ser garantido e efetivado pelo Estado, mediante políticas que garantam igualdade de condições para o acesso e permanência e garantia de padrão de qualidade. Considerando a Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei nº 9.394 de 1996) em seu artigo 3° e 4° inc. V, VI e VII reafirmam a obrigatoriedade do Estado em ofertar igualdade de condições para o acesso e permanência aos níveis mais elevados de ensino, pesquisa e criação artística. As e os estudantes não fazem nada mais do que uma pleito público, plural, democrático e justo que visa garantir e assegurar que a Universidade pública cumpra sua função social.
A ação liminar de interdito proibitório, portanto, precisa ser repudiada pois é uma medida autoritária e antidemocrática, que impõe uma proibição vertical que considera somente a decisão da reitoria, ignorando e desconsiderando todas as instâncias democráticas constituídas dentro da Universidade, sendo assim uma medida que por si só quebra a luta histórica por ampla participação e democracia na gestão pública.
Como publicado pelo jornalista José Maschio: “Resta esperar que o juiz da Segunda Vara da Fazenda Pública de Londrina se espelhe na decisão, sábia, do juiz federal Rodrigo Gaspar de Mello (do Espírito Santo) que, ainda neste mês de novembro, indeferiu pedido semelhante de instituição federal de lá. E na decisão do juiz Mello, dois pontos importantes:
1) o juiz considerou que para prédios públicos não cabe a aplicação do interdito, pois os estudantes ocupavam os prédios mas não estavam a tomar posse deles. E, públicos, os prédios pertenciam à comunidade universitária.
2) os estudantes estavam protegidos constitucionalmente pelo direito de livre manifestação e´´garantiam a própria democracia.
Ao ir à Justiça, ela deixa claro: está contra a comunidade universitária e a favor do desgoverno que se instalou no Paraná.”
Convidamos a todos e todas para se somarem na luta em defesa da liberdade de organização e da democracia. A afronta ao movimento estudantil é uma afronta a toda a sociedade, a construção histórica das lutas por democracia dentro da nossa Universidade. Nesse momento todas as formas de solidariedade são bem vindas: Moções de apoio, cartas, notas de repúdio e outras formas de contribuição.
Assinam essa carta:
Estudantes grevistas da Universidade Estadual de Londrina (UEL) e ocupantes do Centro de Educação, Comunicação e Artes (CECA).

AO LER NOSSOS POSTS ATENTE-SE AS DATAS, ALGUMAS POSTAGENS SÃO REFERENTES APENAS QUANDO PUBLICADAS