Como ficam os vereadores desta para a próxima legislatura?

11:51 Bruno Cardial 0 Comments


Não foram todos que obtiveram sucesso, a maioria reduziu a votação. 8 foram reeleitos, 7 em exercício e 1 cassado. Teve vereador que não se reelegeu UM voto apenas. As mulheres atuais não voltaram, e a próxima legislatura reduziu de 3 para somente 1 vereadora. Veja um a um dos atuais vereadores como ficaram:

Nas eleições 2012, Amauri Cardoso, do PSDB, obteve 2.638 votos e ficou como suplente do segundo vereador mais votado naquele ano, Pastor Gerson Araújo, do mesmo partido. Amauri assumiu a cadeira após uma decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que afastou o Pastor Gérson. O pouco mais de um ano na câmara renderam um aumento de 312 votos. Amauri se elegeu, ainda pelo PSDB agora 2.950.

Elza Correia não concorreu ao cargo de vereadora novamente este ano. Elza foi uma das porta-vozes do movimento que investigou e cassou o ex-prefeito Antônio Belinati em meados de 2000 o que lhe rendeu quase 9mil votos na eleição seguinte. A vereadora, neste ano, se recusou a ser candidata pela chapa de Marcelo Belinati, sobrinho do ex-prefeito. Seu partido, PMDB, além de coligar, indicou candidato ao cargo de vice-prefeito. Elza fez 3.545 votos em 2012 e não trabalhou na transferência de votos em 2016.

O pastor Emanoel Gomes, presidente do seu partido, PRB, não obteve os mesmos 3.213 votos da eleição passada e se retira da câmara este ano. Com apenas 2.184 votos conquistados desta vez, menos de 1000 votos de 2012, Emanoel Gomes dá lugar ao ex-assessor parlamentar Filipe Barros, que obteve 4.227 votos, 1.014 a mais que o próprio pastor na primeira eleição, em 2012.

Algumas discussões e entraves com movimentos, principalmente os ligados ao meio ambiente, retiraram o vereador Gaúcho Tamarrado, hoje no Democratas, da câmara. Gaúcho, que ainda no PDT havia sido eleito com 3.416 votos em 2012, disputou estas eleições em seu novo partido, DEM, que fez somente um vereador, Eduardo Tominaga. Tamarrado perdeu 1.876 votos, talvez por isso o partido tenha feito somente um vereador. A queda de quase 2.000 votos de Tamarrado foi a maior desta legislatura.

Quem também perdeu votos foi o primo do governador do estado. O também tucano Gustavo Richa, reduziu seus 3.737 votos para 2.486 e ficou como primeiro suplente. Richa sofreu o desgaste do sobrenome na cidade onde seu primo teve um aumento de rejeição. O PHS, partido qual foi eleito em 2012, não lançou candidato.

O PP, partido que elegeu o prefeito, fez 3 vereadores mas não reelegeu Jamil Janene, que fez 2.194 votos. Este ano a votação deste vereador também reduziu, perdendo 970 votos dos 3.164 da eleição passada. Mesmo que fizesse a votação anterior não seria eleito, uma vez que o PP fez dois vereadores Nantes com 4.687 e Gui Belinati com 5.409 votos.

Mais um vereador reeleito, Junior Santos Rosa. O vereador eleito pela primeira vez com 3.961 votos, optou por aproximar-se de Kireeff durante a gestão e após ser líder do prefeito na câmara trocou seu antigo partido, PSC, pelo partido do prefeito, PSD.  Fez uma opção certa, porém, com os 3.961 votos que obteve, seria eleito também no PSC, que, sem coligar, fez um vereador com 2.305 votos somente. O PSD que não havia feito nenhuma cadeira em 2012, após um governo inteiro na prefeitura fez dois, Santos Rosa e Felipe Prochet com 2.122 votos.

O desgaste político do PT atingiu a única mulher desta legislatura que saiu à reeleição, e também, dos únicos parlamentares que obtiveram aumentos de votos de 2012 para 2016. Lenir de Assis que no PT fez 2.392 votos na eleição passada, agora aumentou para 3.138. Porém, a coligação em que estava não obteve votos suficientes para garantir uma cadeira. Apesar dos 746 votos a mais, a vereadora que foi a 10º mais votada no total geral não se reelegeu. A única mulher eleita para a próxima legislatura foi Daniele Ziober pelo PPS com 4.302 votos.

O vereador mais votado em 2012, delegado Marcos Belinati, do PP, deixou seus 7.081 votos para se aposentar do cargo legislativo. A família não ficou sem representante, Gui Belinati, também do PP, com 5.409 votos, quase empatou a votação de seu tio-avô, porém, continuou deixando a família entre os mais votados na cidade. Como segundo maior número de votos nesta eleição, Gui também utilizou do mesmo legado de Marcos em 2012, o sobrenome Belinati. Aliás este sobrenome político elege em Londrina desde 1972.

Mario Takahashi foi o vereador de mais sucesso nestas eleições. Permaneceu em seu partido, o PV, e aumentou sua votação. Takahashi foi de 1.146 votos para 4.192, o maior aumento da câmara. Os 3.046 votos a mais trazem forças popular e política ao vereador reeleito.

O PSC que perdeu o vereador Junior Santos Rosa, não deixou de eleger seu único representante mais uma vez. Péricles Deliberador, que era do PMN, foi eleito no PSC com 2.305 menos que os 2.393 votos de 2012. Este ano, o PMN não obteve quociente eleitoral para fazer nenhum vereador. Se estivesse lá, Deliberador não seria eleito nem com a votação passada, nem com a atual.

Apesar de aumentar seus votos para 3.057, o presidente da câmara Professor Fabinho não voltará na próxima legislatura. A coligação do PPS este ano exigiu mais que os 1.848 votos que elegeram Fabio Testa na primeira vez. Fábio é primeiro suplente ficando atrás de Beto Cambará, segundo eleito no partido com 3.122 votos.

O Deputado Federal Alex Canziani, mandatário político do PTB no paraná, construiu uma boa coligação com seu colega de bancada federal Marcelo Belinati. Fez também uma uma chapa de fortes candidatos em Londrina. O PTB, elegeu o então suplente Fernando Madureira com 4.333 votos e reelegeu o Professor Rony com 3.094 votos. Os dois aumentaram a votação, Madureira com 2.734 a mais que 2012 (quando fez 1.599) e Rony com apenas 39 votos a mais (em 2012 havia feito 3.055). O vereador Tio Douglas, trocou de lugar com Madureira, passando pra suplência mesmo aumentando de 1.962 votos para 2.845.

O vereador mais experiente para a próxima legislatura é Roberto Fú, do PDT. Foi eleito para o primeiro mandato na Câmara de Vereadores em 2004, com 3.297 votos. Reeleito em 2008 com menos, 2.326 votos, em outubro de 2012 conquistou uma nova cadeira no legislativo londrinense subindo para 3.245 votos. Desta vez, Fú chega ao seu 4 mandato com 4.228 votos, seu recorde.


Roberto Kanashiro, do PSDB, depois de seis mandatos consecutivos na Câmara Municipal de Londrina também pendurou as chuteiras. Há quem diga que Kanashiro fez as “tranferências” dos 5.069 votos orientais para Eduardo Tominaga, que apesar de ser de outro partido, o Democratas, obteve 4.175 votos, boa parte da colônia japonesa em Londrina.

Por UM voto Roque Neto ficou fora. Ainda como Padre Roque foi eleito com 2.593 votos em 2012. Agora, mesmo continuando no PR, perdeu votos caindo para 1.516, e não se não se reelegeu. Neste ano seu partido fez uma votação surpreendente com o vereador mais bem votado na história de Londrina. Boca Aberta, com 11.484 votos, aumentou o quociente eleitoral do PR que fez dois vereadores. O ex parlamentar Jairo Tamura está eleito vereador com 1.517 votos, UM a mais que Roque Neto.

Talvez se Sandra Graça tivesse se candidatado à reeleição pudesse voltar à câmara ano que vem. Agora no PRB, Sandra foi candidata a prefeita e obteve 7.904 votos. Sandra foi eleita vereadora em Londrina para quatro mandatos consecutivos, alcançando 2.492 votos em 2000; 2.842 votos em 2004; 3.095 votos em 2008 e 3.002 votos em 2012. Para prefeita fez somente 4.902 a mais que a última eleição.

O ex-PSL vereador Vilson Bittencourt, foi mais um que trocou de partido e foi reeleito. Agora no PSB, Vilson Bittencourt passou de 3.610 votos para 3.129. O PSL fez legenda para eleger este ano um vereador novamente, que foi João Martins com 1.378 votos. Se estivesse em seu partido antigo Vilson se reelegeria, mas Martins não. Melhor para o novo vereador.

O tucano Pastor Gérson Araújo em 2012 foi o segundo mais votado no total geral das eleições. 4.323 votos foram conquistados depois de alguns meses como prefeito de Londrina. Na ocasião, após a cassação do prefeito Barbosa Neto e a renúncia do vice José Joaquim Ribeiro, Araújo, então presidente da Câmara, assumiu o Executivo até o fim do ano. Este foi o motivo, inclusive da cassação de seu mandato de vereador em 2015, quando Amauri Cardoso assumiu. Mesmo nesta situação, Pastor Gérson Araújo foi reeleito com 2.541 votos, 1782 a menos que vez passada.


O PTN será o partido novato da câmara ano que vem. Em 2012, mesmo coligado, havia conseguido no máximo 1.060 votos com o candidato mais votado, Jorge de Almeida. Desta vez fez um vereador com 1.674, Estevão da Zona Sul. Na anterior, Estevão estava ainda no PTN mas fez 1.015 votos apenas. O aumento de 659 votos lhe rendeu a cadeira, mesmo disputando com Jorge de Almeida e com Tito Vale, que havia sido vereador em 2008 mas obteve apenas 1.270 este ano. Tito ficou como primeiro suplente.



ENTRA
SAI
Boca Aberta (PR)
11.484
Marcos Belinati (PP)

Gui Belinati (PP)
5.409
Jamil Janene (PP)

Nantes (PP)
4.687


Fernando Madureira (PTB)
4.333
Tio Douglas (PTB)

Daniele Ziober (PPS)
4.302
Lenir de Assis (PT)



Professor Fabinho (PPS)

Filipe Barros (PRB)
4.227
Emanoel Gomes (PRB)



Sandra Graça (PRB)

Jairo Tamura (PR)
1.517
Roque Neto (PR)

Eduardo Tominaga (DEM)
4.175
Roberto Kanashiro (PSDB)



Gaúcho Tamarrado (DEM)



Elza Correia (PMDB)



Gustavo Richa (PSDB)

Felipe Prochet (PSD)
2.122


Estevão da Zona Sul (PTN)
1.674


João Martins (PSL)
1.378


VOLTA




Roberto Fú (PDT)
4.228
Roberto Fú (PDT)
3.245
Mario Takahashi (PV)
4.192
Mario Takahashi (PV)
1.146
Vilson Bittencourt (PSB)
3.129
Vilson Bittencourt (PSB)
3.610
Professor Rony (PTB)
3.094
Professor Rony (PTB)
2.311
Jr Santos Rosa (PSD)
3.038
Jr Santos Rosa (PSD)
3.961
Amauri Cardoso (PSDB)
2.950
Amauri Cardoso (PSDB)
2.638
Pr Gérson Araújo (PSDB)
2.541
Pr Gérson Araújo (PSDB)
4.323
Deliberador (PSC)
2.305
Deliberador (PSC)
2.393





AO LER NOSSOS POSTS ATENTE-SE AS DATAS, ALGUMAS POSTAGENS SÃO REFERENTES APENAS QUANDO PUBLICADAS