Tiradentes, inconfidência e a enganação

17:46 Bruno Cardial 1 Comments


Desde a escola aprendemos que ainda em 1789 o Brasil era explorado. Portugal, que até então sugava 20% da produção dos Brasileiros, forçava-nos a pagar o "Quinto", o que muitos invocados por pagar chamavam a tarifa de o "Quinto dos Infernos" (daí surge a expressão de mandar para lá).

Quem deve e não paga, todos já sabemos o que acontece! Com o não pagamento do quinto pela baixa produtividade de minério, Portugal ameaçava a entrada dos soldados nas casas para arrancarem dos mineiros seus bens, até quitarem a dívida. O famoso derrama.


Nesta revolta, Tiradentes morreu! Querendo liberdade, querendo o direito das Minas Gerais livre. Mas pergunte: Somente Joaquim José da Silva Xavier se revoltou? Não.


Os inconfidentes eram ativistas políticos que queriam a liberdade de minas, mas já eram proprietários rurais, membros da cúpula militar, juristas, intelectuais, e muitos eram próximos de Portugal ou tiveram alguma ligação com a família real, os abastados estavam somente descontentes e revoltados por falirem pagando impostos à coroa portuguesa. Com uma Minas Gerais livre, eles passariam a ser os mandatários da colônia - ou Estado.

Desde aquela época, quando alguns líderes tentam libertar o Brasil de Portugal e instalar uma República por aqui, além de haver dentro do movimento os oportunistas burgueses e a minoria vendo o povo, havia o traíra, que queria apenas garantir sua própria parte. Assim foi que a Inconfidência Mineira nem saiu do papel, e implodiu pela caguetagem de alguns em troca do perdão de suas dívidas.


Quem então pagaria o preço? 


Quando ainda se reuniam para conspirar contra a coroa, havia surgido em meios à estes inconfidentes ricos e próximos da elite, Tiradentes, um militar de carreira que era o mais próximo do povo, deduz-se o mais "pobre", um tropeiro, minerador e ativista político. 

Dos inconfidentes de pensamentos iluministas de Igualdade e Liberdade, que viam a independência dos EUA por exemplo e queriam fazer o mesmo aqui, os "apadrinhados" no máximo foram exilados depois de presos. Alguns tiveram bens confiscados, outros chegaram a receber até pensão, reclusos em Portugal.


Quantas enganações desde aquela época até hoje sobre o povo!

Tanto que depois de enforcado e esquartejado, Tiradentes foi esquecido. Os republicanos, somente depois na separação do Estado da Igreja, pintaram um Tiradentes de barbas e cabelos longos comparando-o ao Cristo para deixar na história ao povo um herói. Já que a República (proclamada 100 anos depois) deveria de ter um salvador, que fosse com esta imagem e dono desta história.

Quanto ao quinto? Conforme o Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT), a carga tributária brasileira hoje - 2015 - está em 40% do PIB, ou dois quintos de nossa produção. Assim, a carga tributária que nos aflige é o dobro daquela exigida por Portugal à época da Inconfidência Mineira. 

AO LER NOSSOS POSTS ATENTE-SE AS DATAS, ALGUMAS POSTAGENS SÃO REFERENTES APENAS QUANDO PUBLICADAS