Siglas partidárias nas manifestações

10:46 Bruno Cardial 0 Comments


Reparamos nos movimentos e protestos que seguem nas ruas do Brasil, que muitas pessoas filiadas tentando mostrar suas siglas, estão sendo expulsas por isto. Outros quando não são, acabam manchando os movimentos que os acolhem. Ora, sobre isto venho lhe convidar à reflexão! 

Quem já foi ou ainda é filiado a um dos trinta partidos políticos do Brasil, sabe muito bem que o verdadeiro sentido de um partido se desfez com o tempo. Onde deveria ser, em origem, um grupo de pessoas com um mesmo ideal, que buscam o poder para que, uma vez nele, possam exercer as funções de estado como lhes é de direito e como ideal, hoje em muitos casos, não passa de um ciclo de dirigentes que executam articulações de seu próprio interesse. Usando inclusive os próprios filiados como “chão de fábrica”, quando não os movimentos femininos como “trabalho interno”, os raciais com “folclore” e a juventudes como “para-choque”. 

Estes dirigentes merecem sim serem expulsos de qualquer movimentação popular nas ruas que não lhes seja de direito, são pessoas que muitas vezes nem nas próprias campanhas eleitorais trabalham. Coordenam de trás das mesas, de onde partem as articulações e os “jogos de troca”. 

Porque não então, um filiado, militante, chão de fábrica, idealista, que defende a teoria de um partido, os reais ideais, quando se identifica em uma caminhada ou manifestação, não pode com uma camiseta ou bandeira gritar este ideal em meio a tantos outros que pensam assim também. Estar filiado, significa estar organizado e querer chegar ao poder (pois no Brasil não se alcança de outra forma), uma vez no poder, é a chance de se executar o que foi sonhado, pedido e pensado nas ruas, caminhando.

Barrar um militante político chega a ser em alguns casos hipocrisia, daqueles que pedem democracia mas ditam quem deve ou não participar dela. E mais, todas as bandeiras que se identificam com a causa do protesto devem ser levantadas democraticamente, seja dos gays, dos negros, dos filiados, dos pobres, ou de quem ache que seu grupo possa se identificar, apoiar e engrossar uma manifestação.

Devemos raciocinar: Excluir militantes partidários, trará um esvaziamento das siglas, já que além de não os representar, ela os rotula em vários momentos, e só faz perder. Assim, as siglas ficam nas mãos de quem só as usa, para acordos, conchavos e apoios falsos, pois, se for excluído dentro e fora da sigla, pra que então ser um militante partidário hoje em dia?

AO LER NOSSOS POSTS ATENTE-SE AS DATAS, ALGUMAS POSTAGENS SÃO REFERENTES APENAS QUANDO PUBLICADAS