Sarau no Vista Bela

11:25 Aqui Tem Jovem 0 Comments

DO BLOG RUBROSOM


Músicos, artistas, crianças, moradores do bairro e também curiosos marcaram presença durante o último domingo (24) no sarau ‘Para Além das Fronteiras do Hip Hop’ realizado no Conjunto Vista Bela, durante o período da tarde. 


O evento é uma extensão do projeto ‘MH2: Música e Hip-Hop’ que semanalmente realiza oficinas no bairro com discussões e temas ligados à história da canção popular e da cultura hip-hop em geral. Aproveitando o evento, algumas mudas de árvores foram plantadas, como uma forma de melhorar, ainda que um pouco, a falta de arborização do bairro. 

Em um domingo de bastante sol – E com um calor potente que apenas deu trégua após às 16h30 – Moradores da região puderam participar de oficinas com contadores de histórias (Com a educadora Daniella Fioruci), dinâmicas cênicas voltadas para crianças (Com membros do ‘Teatro de Garagem’) além de conferir também apresentações musicais do rapper Banana Flow e do compositor João de Carvalho – Que também é educador no projeto MH2. 

No sábado, um evento semelhante o ‘Block Party’ (Festa do Quarteirão) já havia movimentado o bairro com atrações semelhantes. O evento, realizado na Rua Luiz Moro Neto (Em frente ao Centro Municipal de Educação Infantil – C.M.E.I) também contou com a presença de grafiteiros do grupo Capstyle além de artistas convidados de fora de Londrina que realizaram pinturas no local, dando assim um novo aspecto estético ao local.

Contando os dois eventos (De sábado e domingo) nove grafiteiros participaram – Inclusive artistas de Curitiba.Para vários artistas e pessoas participantes do sarau a troca de informações ocorrida no evento é sempre um dos aspectos de mais destaques. Para crianças pouco familiarizadas com teatro, por exemplo, é sempre curioso ver as reações e os sorrisos que se abrem ao ver apresentações como as de contadores de histórias e até brincadeiras de interpretação realizadas durante o sarau.

Em 2016, este foi o primeiro, de uma série de encontros que deve ainda ocorrer até o final do ano do ano, todos eles como extensão do projeto semanal. “Os eventos são para que os jovens tenham mais interesse pelos projetos, para que eles vejam as ações e possam ter interesse em participar das oficinas, assim como do projeto MH2”, explica o educador Leandro Palmeirah, idealizador do projeto MH2. Segundo ele um próximo evento está já marcado para próximo do dia 15 de maio, nele, o foco serão aspectos da cultura de matriz africana assim como temáticas ligadas à questão racial. Ele ainda ressalta a importância da cultura da música como forma de conscientização e instrução. “Nossa região é carente, sem estrutura, os caras jogam a gente aqui para morrer, o hip-hop vem para fazer esse pessoal viver, ter vontade de fazer novas coisas” afirma Palmeirah.





AO LER NOSSOS POSTS ATENTE-SE AS DATAS, ALGUMAS POSTAGENS SÃO REFERENTES APENAS QUANDO PUBLICADAS