Brasil, tão independente quanto um adolescente

12:00 Bruno Cardial 0 Comments


Lembro-me quando criança, fazer chapéu e espada de papel era o máximo que poderíamos compreender sobre Dia da independência do Brasil. E era uma festa! Mas obviamente, com o passar dos anos vemos que o efeito do grito do Ipiranga vai muito além, sendo uma das páginas mais importantes na história, juntamente com momentos como o Descobrimento, a Abolição e tudo mais...

Eu lhe convidaria a mergulhar um pouco mais nesta história e reparar que a cultura, as influências, a discriminação, a sociedade e tudo no Brasil mudaram muito depois do conceito de 'Independência'. Para entendermos vamos dividir 5 pontos principais de comparações da independência do Brasil e da vida de um jovem independente.

 Jovem independente? 

Normalmente este conceito de ‘ser independente’ do ser humano vem na adolescência ou na juventude carregado de conceitos iguais aos de Independência também em nossa nação. Neste paralelo, pensemos que, se tratando de independência, os pensamentos tanto da época quanto na adolescência vêm ligados ao desvínculo primeiramente de regras, rigores, leis, e também o desvinculo financeiro. Vencidas estas barreiras iniciais na vida e na nação, acha-se que é independente, e aí muito se engana.

Os jovens realmente são independentes?

O Brasil em que vivemos é um Brasil independente?

Não precisa ser nenhum ‘expert’ pra saber as respostas, e nem vamos tão longe para pensar que, independente não é uma nação, ou um jovem, que têm que prover o próprio dinheiro ou fazer suas próprias regras mas ainda são obrigados a tantas coisas e reféns de ‘sistemas’ e mais ‘sistemas’.

1 ○ Independência é quando se é capaz de criar seus próprios hábitos:

Podemos considerar independente uma pessoa que possui costumes e hábitos de acordo com sua própria cultura, sua história e suas influências. Quantas pessoas que você conhece são capazes disso? Muitas? Poucas? 
A cultura acompanha a pessoa na vida, na construção de sua história, mas a maioria ‘importa’ e agrega cultura dos outras pessoas na simples preguiça mental de inventar ou deixar-se viver pela própria história.Você seria capaz disso?
Repare ao seu redor e observe quantos são reféns de hábitos de outras pessoas, influenciáveis facilmente com uma ideia que tomam pra vida sem mesmo fazer parte de sua própria história. E em nosso país também.
Neste país tão rico de cultura, nós inventamos muito mais do que imaginamos para não precisar ‘comprar’ influência internacional. Mas compramos, importamos, e muito. Você acha que é do tipo que mais cria sua própria história ou mais importa hábitos, produtos e costumes de outros? E o Brasil?

○ Independência é criar formas diferentes de fazer as mesmas coisas:

Seres que são frutos de sistemas fechados, que pensam de forma reta, estreita, dentro da caixa, não conseguirão nunca ser independentes. Estes mesmos seres formam uma sociedade que, em sua maioria, ainda pensa desta forma conservadora. Nem precisamos pensar muito para lembrar que vivemos em um lugar que ainda pensa deste jeito, o exemplo é simples quando lembramos no emprego das palavras ‘minoria’ e ‘maioria’, o que vier à mente já são os exemplos mínimos que precisamos para saber que em nosso país existem muitas 'mesmas coisas' que poderiam ser feitas de formas diferentes.
Você consegue fazer facilmente as mesmas coias que faz de formas diferentes? E nosso país, seria capaz disso?

○ Independência é não ir contra si mesmo:

Quantos jovens e adultos por aí não vão contra seus princípios para realizarem alguma coisa de forma obrigada, seja pela sociedade, seja para ganhar dinheiro, ou qualquer outro motivo. Quantos não seguem na vida, as regras opressoras em religiosidades, relacionamentos, na sua sociedade ou em princípios como ética e lisura. Ficam amarrados a coisas sem nem saber por que. Quando se pegam fazendo o que vai contra si mesmo, nem que não seja algo errado, mas simplesmente sendo algo que uma pessoa livre, independente, não precisaria fazer.
E nosso país, você acha que ele não vai contra si mesmo e suas próprias origens em vários momentos? Você está indo, ou agindo, em algum momento contra seus princípios?

○ Independência é desejar experimentar algo, e conseguir:

O pensamento máximo de independente é de quem quer alguma coisa e consegue, seja comprando, seja conquistando, seja convencendo. A forma de conseguir algo pretendido, comprar algo desejado, ou convencer alguém traz a verdadeira satisfação de independência. Quer experimentar algo novo? Você pode? Você consegue?
E nosso país? Você acha que pode ou consegue experimentar alguma coisa nova? Tem persuasão para convencer outras nações, ou experimentar um novo regime político ou ainda um novo sistema de mercado?

○ Independência é quando se é capaz de mudar o mundo com as próprias mãos:

De todos estes pontos uma coisa é lógica, uma nação é feita de pessoas e é o resultado, o espelho destas pessoas. Se um país não é Independente é porque os seus homens e mulheres também não são. Então vamos desejar, vamos sonhar.
Sonhemos com um Brasil feito de pessoas que sejam capaz de criar hábitos e práticas, criar formas diferentes de fazer as mesmas coisas, de reaprender. Um Brasil com pessoas que não precisem ir contra si mesmos, sonhemos com uma nação de pessoas livres para experimentar novidades sem estarem presas à nada, e conseguirem. Pessoas capazes de pensar, criar, realizar, inovar...
Quando isso se concretizar, teremos um país que é capaz de influenciar e mudar outras nações, porque nele haverão pessoas capazes de mudar o mundo com as próprias mãos.

AO LER NOSSOS POSTS ATENTE-SE AS DATAS, ALGUMAS POSTAGENS SÃO REFERENTES APENAS QUANDO PUBLICADAS