Sebastião Salgado questionado

15:49 Bruno Cardial 0 Comments


O fotografo brasileiro mundialmente reconhecido, Sebastião Salgado, que está radicado na França, voltou ao Brasil para se inteirar da tragédia ambiental em Mariana cuja lama atinge a bacia do Rio Doce.
A região é onde está sediado o Instituto Terra, uma ONG criada por ele e sua esposa Lélia Wanick.  A ONG do fotógrafo trabalha na recuperação de áreas vegetais e, principalmente, nascentes degradadas.
Durante a semana, no perfil do InstitutoTerra, no Facebook, vários internautas cobraram um posicionamento do fotojornalista sobre a tragédia.
Na sexta-feira passada, dia 13, Sebastião Salgado encontrou-se com a presidente Dilma Rousseff, em Brasília, para discutir ideias para recuperação da área, incluindo a proposta da criação de um “fundo” subsidiado pelas empresas responsáveis pelo desastre para recuperação das áreas.
Sebastião Salgado deve permanecer no Brasil até final desta semana quando está prevista a ida do fotojornalista até Aimorés, sua terra natal onde está a sede do Instituto Terra.
A assessoria de comunicação do Instituto já publicou uma nota oficial “reafirmando o compromisso de trazer de volta a vida, a água, ao Vale do Rio Doce, com projetos conectados e voltados diretamente para a promoção do desenvolvimento pleno de um Vale que há anos sofre com os efeitos da degradação ambiental”.
Mas os qustionamentos dos internautas na página do instituto, continuam sobre o envolvimento da própria empresa Vale do Rio Doce (acionista da mineradora Samarco, junto com a australiana BHP, responsáveis oficiais pela barragem), com o Fotógrafo e sua ONG.Internautas citam o vínculo, entre si, das duas diretorias (da mineradora e da ONG), além da Vale do Rio Docepatrocinar o principal projeto fotográfico de Sebastião SalgadoGênesis.

AO LER NOSSOS POSTS ATENTE-SE AS DATAS, ALGUMAS POSTAGENS SÃO REFERENTES APENAS QUANDO PUBLICADAS